Sa√ļde Novembro Azul

Médico alerta para o papel da testosterona no câncer de próstata

Especialista faz alerta para necessidade acompanhamento e exames periódicos

Por Fernanda Cappellesso

25/10/2021 às 14:00:00 - Atualizado h√°
"V√°rios estudos examinaram a rela√ß√£o entre os n√≠veis séricos de v√°rios hormônios sexuais e o risco de desenvolver c√Ęncer de próstata", explica Marcos Staak Jr


Segundo o INCA( Instituto Nacional de C√Ęncer), no Brasil, o c√Ęncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atr√°s apenas do c√Ęncer de pele n√£o-melanoma). Cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. A próstata est√° localizada na parte baixa do abdômen, logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso), sendo um órg√£o pequeno que tem forma de ma√ß√£.

Ela produz parte do s√™men, l√≠quido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual. Por ser uma gl√Ęndula que só o homem tem, é preciso entender a rela√ß√£o da testosterona com o c√Ęncer de próstata. O papel cr√≠tico dos andrógenos na estimula√ß√£o do crescimento do c√Ęncer de próstata foi estabelecido em 1941 por Charles Huggins.

"Essas descobertas levaram ao desenvolvimento da terapia de priva√ß√£o de androg√™nio (ADT) como um tratamento para pacientes com c√Ęncer de próstata avan√ßado. Embora a ADT seja paliativa, ela pode normalizar os n√≠veis séricos do ant√≠geno prost√°tico espec√≠fico em mais de 90% dos pacientes e pode produzir respostas tumorais objetivas em 80–90%", explica o médico Marcos Staak Jr.


De acordo com Staak, a atividade antitumoral pode melhorar a qualidade de vida, reduzindo a dor óssea e também as taxas de complica√ß√Ķes.


"Alguns homens com c√Ęncer de próstata avan√ßado apresentam evid√™ncias de doen√ßa metast√°tica na apresenta√ß√£o, enquanto outros desenvolvem doen√ßa metast√°tica após o tratamento definitivo da doen√ßa localizada; em alguns casos, isso pode ser manifestado apenas por uma eleva√ß√£o no n√≠vel sérico do ant√≠geno prost√°tico espec√≠fico (PSA), denominado recorr√™ncia bioqu√≠mica isolada", pontua.

Os homens que apresentam recidiva ou recorr√™ncia durante o tratamento com ADT s√£o considerados portadores de c√Ęncer de próstata resistente à castra√ß√£o, embora ainda possam responder a algumas formas de terapia hormonal.


"Pesquisas contempor√Ęneas levaram ao desenvolvimento de abordagens de modalidades combinadas m√ļltiplas para homens com c√Ęncer de próstata avan√ßado sens√≠vel à castra√ß√£o que est√£o associadas a melhores resultados do que os que podem ser alcan√ßados apenas com a ADT", completa.


Segundo o médico, os objetivos da terapia sist√™mica s√£o prolongar a sobrevida, minimizar complica√ß√Ķes e manter a qualidade de vida. Além da terapia sist√™mica, existem alguns pacientes que podem se beneficiar da terapia local para a próstata ou para met√°stases individuais para prolongar a sobrevida.


"V√°rios estudos examinaram a rela√ß√£o entre os n√≠veis séricos de v√°rios hormônios sexuais e o risco de desenvolver c√Ęncer de próstata. Os dados mais definitivos sobre a rela√ß√£o entre os n√≠veis séricos dos hormônios sexuais e o c√Ęncer de próstata v√™m de uma an√°lise conjunta de 18 estudos prospectivos, que inclu√≠ram 3.886 homens com c√Ęncer de próstata e 6.438 controles. As concentra√ß√Ķes séricas de testosterona, di-hidrotestosterona (DHT) e outros derivados androg√™nicos ativos obtidos antes do diagnóstico N√ÉO foram associadas a um risco aumentado de c√Ęncer de próstata subsequente. Além disso, nenhuma associa√ß√£o foi observada com os n√≠veis séricos de estrog√™nios pré-diagnóstico (estradiol, estradiol livre)", enfatiza.


Além disso, a suplementa√ß√£o de testosterona como tratamento para o hipogonadismo n√£o parece estar associada a um risco aumentado de c√Ęncer de próstata, embora o monitoramento de anormalidades da próstata seja recomendado.


"Uma poss√≠vel liga√ß√£o entre a estimula√ß√£o androg√™nica e o c√Ęncer de próstata forneceu a justificativa para o Prostate Cancer Prevention Trial (PCPT) e o REDUCE Trial, que usou finasterida e dutasterida, respectivamente, para bloquear a convers√£o de testosterona em seu derivado mais ativo DHT. Os inibidores da 5-alfa redutase foram associados a um risco maior de doen√ßa de alto grau, e a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA anexou advert√™ncias sobre essa associa√ß√£o aos rótulos da finasterida e da dutasterida", completa.


Influ√™ncias androg√™nicas diretas ou indiretas s√£o importantes na transforma√ß√£o maligna do tecido prost√°tico, de acordo com o médico. Ele diz que os homens com defici√™ncia de 5-alfa redutase (5-AR) (a enzima que converte a testosterona em DHT, o andrógeno mais ativo da próstata) n√£o desenvolvem c√Ęncer de próstata. A les√£o precursora, PIN de alto grau, também é hormonalmente dependente. A atrofia e as altera√ß√Ķes apoptóticas que ocorrem com a priva√ß√£o de androg√™nio no epitélio prost√°tico normal e hiperpl√°sico e nos c√Ęnceres invasivos também s√£o observadas na neoplasia intraepitelial.


"Esses dados sugerem que a interfer√™ncia com o equil√≠brio normal de andrógenos pode afetar a incid√™ncia do c√Ęncer de próstata. As terapias médicas direcionadas à manipula√ß√£o hormonal incluem estrog√™nios, antiandrog√™nios, agonistas do hormônio liberador de gonadotropina (GnRH) e inibidores 5-AR. A maioria dessas terapias n√£o é candidata ao uso como agentes quimiopreventivos devido aos potenciais efeitos colaterais. O uso de inibidores de 5-AR ou antiandrógenos que bloqueiam o receptor de andrógeno pode estar associado a menos efeitos colaterais porque os n√≠veis séricos de testosterona permanecem inalterados''.


A orquiectomia bilateral é um procedimento relativamente simples e de baixo custo. Após a cirurgia, os n√≠veis de testosterona sérica diminuem rapidamente para os n√≠veis de castra√ß√£o, e isso geralmente est√° associado a melhorias na dor óssea e outros sintomas relacionados à doen√ßa.


"Embora a orquiectomia seja usada com muito menos frequ√™ncia do que a castra√ß√£o médica na América do Norte e na Europa, continua sendo uma alternativa √ļtil quando uma diminui√ß√£o imediata da testosterona é necess√°ria (por exemplo, compress√£o da medula espinhal iminente) ou quando os custos ou ades√£o à terapia médica s√£o um problema. Em muitos pa√≠ses, a orquiectomia bilateral continua sendo o padr√£o de tratamento para a terapia hormonal inicial do c√Ęncer de próstata metast√°tico", finaliza.
Comunicar erro
GG Notícias

© 2021 GG Notícias - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

GG Notícias