Sa√ļde Outubro Rosa

Pandemia dificulta diagnóstico precoce do câncer de mama

Mastologistas da Central Nacional Unimed e da Sociedade Brasileira de Mastologia alertam para os exames e as medidas de prevenção

Por Fernanda Cappellesso

25/10/2021 às 11:37:18 - Atualizado h√°
O diagnóstico precoce é fundamental para a efic√°cia no tratamento do c√Ęncer de mama, que ocupa a primeira posi√ß√£o em mortalidade por c√Ęncer entre as mulheres no Brasil, segundo o Instituto Nacional do C√Ęncer (Ministério da Saúde). A pandemia de Covid-19 tem reduzido as chances de diagnóstico precoce, afastando as mulheres dos consultórios médicos e dos exames para detec√ß√£o.

"A Covid-19 tem reflexos em nossos consultórios e passamos a atender e diagnosticar pacientes com c√Ęncer de mama em est√°gios mais avan√ßados, principalmente no SUS", afirma o Dr. Sérgio Calmon, médico mastologista do Grupo Amo, parceiro na Bahia da Central Nacional Unimed.

"Nossa percep√ß√£o é que a demanda est√° voltando a regularizar nas clínicas e hospitais particulares, porém, no SUS ainda temos uma demanda reprimida muito alta. Por isso, a campanha Outubro Rosa tem um papel fundamental, para chamar a aten√ß√£o e ratificar a import√Ęncia da realiza√ß√£o da mamografia", comenta o mastologista.

Ele afirma, ainda, "além de ter maiores chances de cura, a paciente com diagnóstico precoce tem um tratamento menos agressivo, com cirurgias menores, evitando em muitos casos a quimioterapia". Sérgio Calmon é vice-presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) - regional Bahia.

Um estudo da SBM aponta que o número de mamografias realizadas em 2020 foi 42% menor em rela√ß√£o ao ano anterior, em todo o território nacional. Dados preliminares, n√£o publicados, apontam que ainda n√£o houve recupera√ß√£o para os níveis anteriores à pandemia.

"Além da queda na realiza√ß√£o das mamografias, exame fundamental para o rastreamento da doen√ßa, nós identificamos um aumento de mulheres com nódulos palp√°veis, saindo de 7,0% em 2019 para 7,9% em 2020, o que preocupa bastante", alerta o Dr. Darley de Lima Ferreira Filho, vice-presidente Regi√£o Nordeste, da SBM.

Ele explica que a situa√ß√£o é ainda mais preocupante entre as mulheres nordestinas, de baixo poder aquisitivo, atendidas pelo SUS. "A gente constata nos consultórios a redu√ß√£o do número de consultas. Muitas mulheres que viajavam do interior para as capitais, para consultas e exames, deixaram de fazer isso, porque muitas prefeituras n√£o tiveram condi√ß√Ķes de arcar com o custo do transporte dessas pacientes, que muitas vezes chegavam em ambul√Ęncias".

Dr. Darley também destaca que a sobrecarga nos sistemas público e privado de saúde, provocada pela Covid-19, dificultou o diagnóstico precoce. De acordo com o Inca, para o Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de c√Ęncer de mama em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

O c√Ęncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Cerca de 2,3 milh√Ķes de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres, segundo o Inca.

V√°rios fatores est√£o relacionados ao desenvolvimento do c√Ęncer de mama. Os principais s√£o envelhecimento, determinantes relacionados à vida reprodutiva da mulher, histórico familiar de c√Ęncer de mama, consumo de √°lcool, excesso de peso, atividade física insuficiente e exposi√ß√£o à radia√ß√£o ionizante.

Dr. Sérgio Calmon ressalta que manter h√°bitos saud√°veis de vida e realizar exames periodicamente, s√£o armas fundamentais na luta contra o c√Ęncer de mama. "As recomenda√ß√Ķes s√£o ter uma dieta saud√°vel, peso equilibrado, praticar exercícios físicos, e todas as mulheres depois dos 40 anos devem realizar a mamografia anualmente. Caso apresentem algum sintoma na mama ou encontrem algo nos exames de rastreio, procurem um (a) mastologista", recomenda.
Comunicar erro
GG Notícias

© 2021 GG Notícias - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

GG Notícias