Gisele Bündchen no Carnaval: 8 seguranças, pratão de "miojo", cachê milionário e mais

Ela teria recebido cerca de R$ 10 milhões pela presença vip

Foto: Instagram/ Gisele Bündchen

Foto: Instagram/ Gisele Bündchen


Gisele Bündchen foi a sensação do camarote Brahma Nº1, no primeiro dia do grupo especial do Carnaval do Rio de Janeiro, e causou como um furacão. Contratada pela cervejaria, a modelo internacional marcou presença no espaço deles, mobilizou um esquema ímpar e não fez nada fora do contrato.

Gisele chegou com cerca de 30 minutos de atraso, mas desceu do carro blindado com um sorriso no rosto e acenando para os clientes do local que pagaram cerca de R$ 4 mil para curtir os desfiles das escolas de samba no espaço vip. Se Gisele distribuía simpatia, seus seguranças nem tanto. Yahoo esteve no espaço e conferiu tudo de muito perto.

Aos berros, os 8 profissionais abriam caminho entre o público durante os cinco trajetos que ela fez dentro do espaço vip: do carro para o backdrop onde fez fotos, depois para sua área VIP, para a área VIP na frisa do dono do espaço, de volta ao seu camarote e então para o carro que a levou embora.

Na maior parte das 3 horas de contrato Gisele ficou no seu espaço reservado, em que o acesso era permitido a apenas 20 pessoas convidadas e alguns staffs, como maquiador e cabeleireiro. Lá dentro, bebeu água de coco, se divertiu com os amigos, dançou, e comeu um porção generosa do macarrão Konjac que tem 9 calorias para cada 100 gramas e não tem glúten, gordura, águçar e sal. Ela escolheu molho pesto para acompanhar

A top saiu de lá apenas para cumprir outra parte importante do contrato, um brinde à distância com Zeca Pagodinho em pleno desfile da escola de samba Grande Rio, que o homenageou.

Para tal, ela ficou 30 minutos, contados no relógio, no espaço VIP de Victor Oliva, o criador do camarote Nº1 e de lá assistiu parte do desfile e brindou com Zeca quando ele passou à sua frente. De volta ao seu espaço reservado, a gaúcha só saiu de lá para ir embora distribuindo sorrisos e posando para algumas selfies.

Um time com mais de 20 jornalistas tentava uma aspa de Gisele e a sortuda da vez foi Julie Alves, repórter da Sônia Abrão, que conseguiu trocar poucas palavras com a modelo já no carro. Para a ação, a modelo teria recebido algo em torno de R$ 10,3 milhões segundo contou a colunista Fábia Oliveira, do Em Off.