Drama de Violência Doméstica: Mulher de 36 Anos Atira no Companheiro Após Anos de Abusos

Araguatins: Mulher se defende após sete anos de abusos, em um trágico episódio que acende o debate sobre a violência doméstica.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Em uma triste noite no munic√≠pio de Araguatins, no Bico do Papagaio, um dram√°tico cap√≠tulo de viol√™ncia doméstica veio à tona. Uma mulher de 36 anos, após anos de abusos e agressões por parte de seu companheiro, de 23, foi presa sob suspeita de mat√°-lo com um tiro de espingarda. O tr√°gico episódio, que ocorreu na madrugada deste domingo (22), na rua 31 de Março, lançou luz sobre a dif√≠cil realidade enfrentada por muitas v√≠timas de relacionamentos abusivos.

Segundo a Pol√≠cia Civil, a mulher teria agido em leg√≠tima defesa, o que lança uma sombra ainda mais complexa sobre essa tragédia familiar. A v√≠tima foi identificada como Lucas da Conceição Ribeiro da Paz, e a suspeita é sua companheira, que acumulou um histórico de boletins de ocorr√™ncia ao longo dos sete anos de relacionamento, todos relatando situações de viol√™ncia doméstica.

No dia do fat√≠dico incidente, de acordo com a pol√≠cia, Lucas estava em um estabelecimento consumindo bebidas alcoólicas, e a conta teria sido paga com o cartão de crédito da mulher. Ao retornar para casa visivelmente embriagado, uma briga eclodiu. A mulher reclamou do uso de seu cartão e, em resposta, Lucas teria agredido fisicamente a companheira, danificando a porta da resid√™ncia e lançando telhas sobre ela.

Na tentativa de se proteger e defender o filho de 15 anos, ela teria recorrido a uma espingarda calibre 20 que pertencia a Lucas, efetuando um disparo que atingiu a barriga do companheiro. Após o tr√°gico evento, ela deixou a casa com seu filho e, no mesmo dia, buscou a Pol√≠cia Militar para se entregar.

Um detalhe intrigante é que o filho teria afirmado que efetuou o disparo para proteger sua mãe, um aspecto que ainda ser√° investigado pelas autoridades. Uma audi√™ncia de custódia dever√° definir o futuro da mulher, se permanecer√° detida ou se ser√° libertada provisoriamente com base na alegação de leg√≠tima defesa, de acordo com a Pol√≠cia Civil.