Qualificação e Segunda Chance: Polícia Penal promove formatura de 60 custodiados em Palmas

Curso de Panificação, Confeitaria e Eletricista de Baixa Tensão abre portas para reinserção social e remição da pena

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na Unidade Penal Regional de Palmas (UPRP), o Sistema Penal celebrou a formatura de 30 custodiados que concluíram com sucesso o curso de Panificação e Confeitaria, e outros 30 que finalizaram o curso de Eletricista de Baixa Tensão. Essa iniciativa visa promover a qualificação profissional e a reinserção social daqueles que estão privados de liberdade nas unidades penais de Palmas, Cariri, Colinas, Colmeia e Guaraí.

Essa conquista foi resultado de três dias de intenso aprendizado, uma parceria entre a Gerência de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso e a empresa New Life. Os participantes receberam certificações de 160 horas de estudo, e a oportunidade de remir parte de suas penas por meio do esforço dedicado ao aprendizado.

Foto: Divulgação

A cerimônia contou com a presença do gerente de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso, Dilson Junior, que enfatizou a importância dessas iniciativas. Ele afirmou: "O curso é importante, pois gera a qualificação do custodiado e sua preparação para a vida em liberdade. A educação, tanto profissionalizante quanto formal, juntamente com o trabalho, são componentes essenciais para a reinserção bem-sucedida na sociedade. Sempre tive essa visão de que o trabalho e a educação profissionalizante conseguem abranger essas duas políticas cruciais, o trabalho e a educação".

Maxsuel Mesquita, chefe da Unidade Penal Regional de Palmas, também ressaltou o impacto positivo da remição no processo de cumprimento da pena. "A remição na unidade desempenha um papel crucial no sistema, oferecendo uma oportunidade para reduzir a pena por meio do estudo e do trabalho, o que está intrinsecamente ligado à socialização", explicou. "Em última análise, a remição e os cursos profissionalizantes durante o cumprimento da pena beneficiam tanto as pessoas privadas de liberdade quanto a sociedade em geral, contribuindo para a redução da criminalidade e promovendo a reintegração bem-sucedida". Essa iniciativa destaca a importância de fornecer segundas chances e criar oportunidades para transformar vidas, além de destacar o impacto positivo que a educação e a capacitação profissional podem ter no sistema penal.