Identificados Suspeitos da Brutal Emboscada que Resultou na Morte de Detento em Presídio de Palmas

Operação Pavilhão 5 revela detalhes chocantes da trama que levou à morte de André Luiz Borges de Souza durante banho de sol.

Foto: Luiz de Castro

Foto: Luiz de Castro

A operação Pavilhão 5, deflagrada nesta terça-feira (21) pela 1ª Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP - Palmas), revelou uma trama chocante que culminou na morte do detento André Luiz Borges de Souza na Unidade Penal de Palmas. Sete homens, todos já encarcerados, foram identificados como suspeitos de participação no brutal assassinato, ocorrido durante o banho de sol em 21 de dezembro de 2022.

Durante a operação, três mandados de prisão foram cumpridos dentro dos presídios do estado. A ação da polícia estendeu-se à Unidade de Segurança Máxima de Cariri do Tocantins, à Unidade Penal de Palmas e ao presídio Barra da Grota, em Araguaína. Além dos mandados de prisão, sete mandados de busca e apreensão foram executados nas celas.

Foto: Luiz de Castro

Dos sete investigados por participação na morte de André Luiz, apenas três tiveram prisões decretadas. Segundo o delegado Eduardo Menezes, os outros quatro não receberam novas ordens de prisão devido às penas já altas que estão cumprindo. Durante as buscas na Unidade Penal de Palmas, foram encontradas cartas que os presos utilizavam para se comunicar sobre as regras da facção criminosa.

Os suspeitos, identificados pelas iniciais e apelidos, são A.F.S (o Bené), R.S.C (o Coringuinha), F.G.S (o Lambeta), J.A.A (TH ou Artur), J.V.R.S, P.F.C.J (o Cigano), e M.A.M.R (o Bozo), com idades entre 22 e 35 anos. Todos serão interrogados, e o inquérito resultante será encaminhado à Justiça.

Foto: Luiz de Castro

A emboscada que resultou na morte de André Luiz foi minuciosamente planejada, como revelaram as câmeras de segurança do pavilhão. As imagens mostraram os criminosos armando a cilada enquanto outros presos jogavam capoeira, tentando se misturar para dificultar a identificação. A vítima foi atraída para um canto do pavilhão, onde foi brutalmente agredida e espancada até a morte por traumatismo craniano.