Política

Partido Liberal libera bancada no Senado para votar em indicado de Lula ao STF: PL de Bolsonaro adota postura inesperada

Liberdade para votar em Cristiano Zanin contrasta com postura do PL em outras agendas priorit√°rias do governo Lula

Por Redação

09/06/2023 às 18:30:00 - Atualizado h√°
Folha Press

O Partido Liberal (PL), legenda que tem Jair Bolsonaro como um de seus principais integrantes, surpreendeu ao decidir não se opor formalmente à indicação de Cristiano Zanin, advogado do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva, para o Supremo Tribunal Federal (STF). Fontes dentro do partido confirmaram que a c√ļpula decidiu liberar a bancada no Senado para votar sobre a escolha de Lula. Essa inusitada postura abre espaço para que os onze senadores da sigla expressem livremente seus votos, tanto a favor quanto contra o indicado de Lula, sem qualquer risco de penalidades.

De acordo com uma fonte próxima a Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, essa decisão visa evitar a repetição do que aconteceu com a nomeação de André Mendonça, ex-ministro de Bolsonaro. Mendonça enfrentou uma espera de nove meses para que sua nomeação fosse pautada no Senado, devido à pressão do presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Davi Alcolumbre. Na ocasião, Lula atuou pessoalmente, a pedido de aliados evangélicos, para que o PT não se opusesse à nomeação de Mendonça, que é presbiteriano.

Essa movimentação de Lula garantiu alguns votos favor√°veis ao aliado de Bolsonaro no plen√°rio. No entanto, a votação foi a mais apertada para uma indicação ao Supremo nas √ļltimas duas décadas, com 47 votos favor√°veis e 32 contr√°rios. Embora Lula não esteja ativamente trabalhando pela aprovação de Zanin, ele j√° deixou claro como ser√° o comportamento do PL em relação à escolha, declarando que é uma "compet√™ncia privativa do presidente".

Essa liberação da bancada contrasta com a postura do partido em relação a outras agendas priorit√°rias do governo Lula no Congresso, como a medida provisória da Esplanada dos Ministérios e o projeto de lei das fake news, nas quais o PL fechou questão contra. Os parlamentares do partido que desafiarem essa posição terão seus direitos partid√°rios suspensos, incluindo a participação em comissões na Câmara.

A votação no plen√°rio do Senado, que est√° prevista para acontecer até o final de junho, ser√° secreta. Caso o PL fechasse questão, seria poss√≠vel identificar, com base no placar final, se o partido votou unido a favor ou contra o indicado de Lula.

Como j√° reportado anteriormente, Zanin est√° trabalhando para garantir pelo menos 49 votos no plen√°rio do Senado, o mesmo n√ļmero de senadores que apoiaram Rodrigo Pacheco na sua candidatura à reeleição como presidente da Casa. Para alcançar esse objetivo, além da base de Lula, o advogado precisa do apoio de parlamentares do PL.

Apesar de enfrentar resist√™ncia de senadores como Magno Malta, Zanin j√° conquistou o apoio de Carlos Portinho e tem sinalizações positivas de outros, como Rogério Marinho. Até mesmo Valdemar Costa Neto, presidente do PL, elogiou Zanin nos bastidores.

A atuação de Zanin nos casos que condenaram Lula impôs à Lava-Jato sua mais dura derrota, com o STF decretando a suspeição do ex-juiz Sergio Moro. Essa decisão reabilitou politicamente o ex-presidente e pavimentou seu caminho para disputar a eleição e retornar ao Pal√°cio do Planalto. Esse histórico agrada a Valdemar, que também foi condenado no escândalo do Mensalão. Recentemente, Valdemar afirmou que Moro e Deltan Dallagnol "pagarão caro" por terem "ultrapassado os limites da lei" na força-tarefa em Curitiba.

Comunicar erro
GG Noticias

© 2024 GG Noticias - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

GG Noticias
Acompanhantes em Goi?nia