Alerta para o setor lácteo: Importação de leite aumenta mais de 40% em maio, preocupando produtores nacionais

Compras externas de leite triplicaram em relação ao ano passado, levantando preocupações sobre o mercado interno e desequil√≠brio setorial

Foto: CNA

Foto: CNA

O setor l√°cteo brasileiro enfrenta um novo desafio que vem preocupando os produtores nacionais: o aumento significativo das importações de leite. Segundo dados recentes divulgados pelo Boletim do Leite, elaborado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), as compras externas de leite cresceram impressionantes 43% em maio, totalizando 209 milhões de litros do produto importados, principalmente da Argentina e do Uruguai. No acumulado do ano, o volume de importação atingiu a marca de 878 milhões de litros, um avanço de mais de 200% em comparação aos cinco primeiros meses do ano passado.

Essa ascensão das importações não se limita apenas ao leite em si, abrangendo também outros produtos l√°cteos como queijos, manteiga, soro de leite e leite em pó. O crescimento expressivo das compras externas tem gerado apreensão entre os produtores, que agora se deparam com a possibilidade de um desequil√≠brio no mercado interno. A Associação dos Criadores de Gado Holand√™s do Rio Grande do Sul (Gadolando), por exemplo, j√° se manifestou a respeito dessa situação, alertando para os impactos negativos que essa crescente importação pode causar ao setor. Segundo a associação, a maior demanda por produtos l√°cteos importados est√° relacionada à escassez da oferta interna, influenciada pela entressafra e pelos preços nacionais mais elevados em relação aos praticados no mercado internacional. Analistas ainda destacam que, em média, o leite nacional custa cerca de 15% mais caro do que o leite produzido pelos pa√≠ses vizinhos.

Foto: Shutterstock

Em junho do ano passado, uma resolução do governo federal, sob a gestão do presidente Jair Bolsonaro, reduziu as tarifas de importação de l√°cteos, que vigoram até dezembro deste ano. Agora, diante desse cen√°rio, os produtores, incluindo a Gadolando, defendem a necessidade de o governo federal intervir com limitações ou taxações às importações de leite, como uma tentativa de frear as compras externas e restabelecer o equil√≠brio no setor.

Essa questão delicada envolvendo as importações de leite coloca em evid√™ncia os desafios enfrentados pelos produtores nacionais, que buscam manter a sustentabilidade do mercado interno diante de uma concorr√™ncia cada vez mais acirrada. Resta agora aguardar as ações que serão adotadas pelas autoridades competentes, visando proteger e fortalecer a produção nacional de l√°cteos, garantindo a estabilidade do setor e a segurança do abastecimento interno.