Produção de milho segunda safra crescerá mais de 5% em 2023, revela monitoramento de satélites

Startup 4intelligence prev√™ colheita recorde de 95,9 milhões de toneladas do cereal, com destaques para regiões de Goi√°s e Mato Grosso

Foto: Marcelo Min

Foto: Marcelo Min

A produção de milho no Brasil est√° em ascensão, com estimativas apontando para um crescimento de mais de 5% na segunda safra de 2023. Segundo a startup 4intelligence, especializada em monitorar lavouras por meio de imagens de satélite, a colheita pode atingir a impressionante marca de 95,9 milhões de toneladas, superando os n√ļmeros do ano passado.

Um dos destaques fica por conta do rendimento médio das plantações em Goi√°s e Mato Grosso, onde os agricultores esperam colher cerca de 106,5 e 106,3 sacas por hectare, respectivamente. J√° na região central de Mato Grosso, que engloba munic√≠pios como Sorriso, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, a produtividade promete ultrapassar a marca de 110 sacas por hectare. Mesmo no Paran√° e em Mato Grosso do Sul, onde os produtores enfrentaram dificuldades no in√≠cio do ano devido às chuvas, os resultados serão satisfatórios, com rendimentos de 93,4 (-1,5%) e 87,2 sacas (+4,7%) por hectare, respectivamente.

De acordo com a empresa, as chuvas registradas em abril proporcionaram condições ideais para o desenvolvimento das lavouras em praticamente todas as √°reas, impulsionando os rendimentos. O monitoramento via satélite permite uma an√°lise precisa das plantações, auxiliando os agricultores a tomar decisões estratégicas para obter melhores resultados.

O crescimento na produção de milho é uma excelente not√≠cia para o setor agr√≠cola do Brasil, que desempenha um papel fundamental na economia do pa√≠s. Com o aumento da produtividade, espera-se um impacto positivo tanto no abastecimento interno quanto nas exportações, impulsionando o agronegócio e contribuindo para o desenvolvimento econômico do Brasil.

À medida que a segunda safra de milho se aproxima da colheita, os produtores estão otimistas com os n√ļmeros promissores. A expectativa é de que o setor continue a prosperar, demonstrando a força e o potencial da agricultura brasileira.