Local1 Magalu

Abate de bovinos no primeiro trimestre tem menor nível desde 2009

O abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano foi de 6,56 milhões de cabeças, uma queda de 10,6% em comparação ao primeiro trimestre de 2020 e de...

Por EBC em 08/06/2021 às 12:07:09

O abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano foi de 6,56 milh√Ķes de cabe√ßas, uma queda de 10,6% em compara√ß√£o ao primeiro trimestre de 2020 e de 10,9% ante o trimestre anterior. É o menor resultado desde o primeiro trimestre de 2009. Os dados s√£o da Estat√≠stica da Produ√ß√£o Pecu√°ria, divulgada hoje (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE).

A queda no abate de bovinos foi verificada em 23 das 27 unidades da federa√ß√£o. O estado de Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 15,7% da participa√ß√£o nacional, seguido por Mato Grosso do Sul, com 11,7%, e S√£o Paulo, que detém 10,2% da produ√ß√£o brasileira.

Frango e suínos

O abate de frangos teve no per√≠odo um novo recorde na série histórica, iniciada em 1997, chegando a 1,57 bilh√£o de cabe√ßas. O resultado é 3,3% superior ao mesmo per√≠odo de 2020 e cresceu 0,7% na compara√ß√£o com o quarto trimestre de 2020. O Paran√° lidera a produ√ß√£o com folga, sendo o estado respons√°vel por 33,1% da participa√ß√£o nacional, seguido por Rio Grande Sul (13,9%) e Santa Catarina (13,3%).

O abate de su√≠nos no primeiro trimestre de 2021 foi de 12,62 milh√Ķes de cabe√ßas, o melhor resultado para o per√≠odo desde o in√≠cio da série. O aumento foi de 5,7% em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo de 2020 e de 0,6% na compara√ß√£o com o quarto trimestre de 2020. Santa Catarina tem 28,9% da participa√ß√£o nacional, seguido por Paran√° (20,3%) e Rio Grande do Sul (17,5%).

De acordo com o supervisor da pesquisa, Bernardo Viscardi, o resultado do primeiro trimestre do ano condiz com o que foi observado no ano passado. "Houve uma continuidade da tend√™ncia observada em 2020, com queda no abate de bovinos e crescimento de su√≠nos e frangos. Ao mesmo tempo, os pre√ßos médios da arroba bovina e do bezerro atingiram valores m√°ximos nas respectivas séries".

Exportação

Segundo o IBGE, a produ√ß√£o para exporta√ß√£o continua aquecida. A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia registrou o terceiro maior volume de carne bovina in natura exportada para o per√≠odo analisado, com 133,82 mil toneladas apenas em mar√ßo, um recorde para o m√™s.

Quanto aos su√≠nos, os pre√ßos do animal vivo e da carne su√≠na no mercado interno sofreram desvaloriza√ß√£o no trimestre, aumentando sua competitividade. Ao mesmo tempo, foi registrado recorde de exporta√ß√Ķes de carne su√≠na in natura, de acordo com a Secex.

De acordo com o instituto, o desempenho das exporta√ß√Ķes da carne de frango permaneceu em patamares razo√°veis no trimestre, o que indica que o aumento da produ√ß√£o se destinou ao consumo interno.

Leite, ovos e couro

A pesquisa indica que a aquisi√ß√£o do leite cru teve aumento de 1,8% em rela√ß√£o ao primeiro trimestre de 2020, chegando a 6,56 bilh√Ķes de litros, a maior no acumulado em um primeiro trimestre na série histórica. O resultado é 3,5% menor em compara√ß√£o com o quarto trimestre de 2020, uma queda sazonal esperada.

A produ√ß√£o de ovos de galinha foi de 978,25 milh√Ķes de d√ļzias, um aumento de 0,3% frente ao apurado no primeiro trimestre de 2020 e queda de 1,3% na compara√ß√£o com o trimestre anterior.

Quanto à Pesquisa Trimestral do Couro, os curtumes receberam 7,07 milh√Ķes de pe√ßas de couro no primeiro trimestre, 6,6% a menos do que o adquirido no primeiro trimestre de 2020 e queda de 8% em rela√ß√£o ao quarto trimestre de 2020. O menor resultado para um primeiro trimestre desde 2002.

Fonte: EBC

Comunicar erro
Local2

Coment√°rios